Edmur e o Caminhão

O pai caminhoneiro e o filho cineasta procuram por um antigo caminhão e memórias familiares. 

A estreia deve acontecer ainda esse ano no Canal Futura. O filme faz parte do programa Doc Futura.

Direção, Fotografia e Montagem: Lucas Gervilla

Desenho de Som: Patricio Salgado

Duração: 13:35min.

Co-produção: Canal Futura

Desde o início do ano sou oficineiro dos Pontos MIS, um programa do Museu da Imagem e Som de São Paulo. Tenho ministrado a oficina “Documentários com Câmeras DSLR”, através da qual os participantes entram em contato com técnicas de produção audiovisual voltadas para o cinema documentário produzido com câmeras DSLR.

A oficina já foi realizada em diversas cidades do interior do estado, como São Pedro do Turvo, Piraju, Fartura, Bernardino de Campos e Itaí.

Maiores informações: Documentários com Câmeras DSLR

Edmur e o Caminhão

Estou dirigindo “Edmur e o Caminhão”, um filme comissionado pelo programa Doc Futura, do Canal Futura.

Um filme de busca, onde meu pai – caminhoneiro aposentado – e eu – cineasta – iremos procurar por um dos primeiros caminhões dele. O lançamento será em setembro.

Edmur e o Caminhão 01

Ruínas Ruídos – De Detroit a Moscou

Lucas Gervilla e Monica Toledo, 2018.

Ruínas - Ruídos 03Durante nossos trajetos, é comum encontramos paisagens com construções antigas: casas, prédios, galpões, etc. Em um primeiro, essas estruturas podem parecer ser apenas ruínas, mas nosso olhar sempre encontra ruídos de presenças passadas, alguma forma vestígio. Pode ser uma escrita na parede, uma lata amassada no chão ou uma janela que balança com o vento. São evidências de que esses lugares foram ocupados mas não totalmente desocupados.

Podemos nos deparar com esse tipo de situação a qualquer momento, em qualquer lugar; de Detroit a Moscou.

A obra é formada por dois vídeos, ambos criados a partir de imagens de lugares abandonados captadas pelos artistas, nas cidades de Detroit (EUA), e Moscou e Nizhny Novgorod (Rússia). Detroit foi o símbolo do capitalismo industrial estadunidense, enquanto Moscou foi a capital da URSS. Nizhny Novgorod foi a primeira cidade russa a passar pelo processo de desestatização, após a dissolução da União Soviética. Nessas três cidades – que foram vistas como modelos a serem seguidos – há um grande número de construções abandonadas, nos lembrando que nenhum modelo sócio-econômico-político é totalmente bem sucedido.

Lucas e Monica sobrepõem imagens e sons das três cidades criando lugares e situações imaginárias. Conectando, por alguns instantes, as ruínas e ruídos de ambas.

O trabalho foi apresentado pela primeira vez na exposição Zonas de Compensação 5.0; na Galeria Alcindo Moreira Filho, no Instituto de Artes da UNESP, em maio de 2018.